Antes Que Acabe





Apartamento. Segundo andar. Silêncio. Interfone, telefone, internet, e vizinhos, incrivelmente opacos. Céu cinza. Música. Chuva. Pijama. Que paz! Senti uma paz estranha que não sentia, há um tempo. 

Acho que toda paz é estranha. E toda discussão sobre o que é paz também é estranha, controversa, cultural. E ainda assim, não se pode eliminar a responsabilidade da culpa do que é sentir paz em um mundo caótico.

Dá até superioridade sentir paz, na caoticidade. É filho da puta sentir paz. É o mesmo que ter um "Ai" enquanto todos trabalham. Ser gordo e feliz num SPA, ser capitalista em Cuba. Ter a última Edição rara de Assis... 




Paz é um contra-caminho. Nasceu para ser controversa e ser vivida em um gosto-desgosto. Sempre desconfio que ela não gosta de Réveillon, ao menos, se eu fosse ela, odiaria ser aclamada hipocritamente pelo mundo, antes dos dez segundos. 

Respiro. Sinto-a. Curto-a. E do resto, procuro esquecer. Porque paz é um arem momentâneo e não sei quando vou senti-lo novamente. Logo, é melhor esquecer a culpa, antes que o interfone toque, o síndico apareça e a musiqueta do gás de Beethoven aconteça.  




K.C

13 comentários :

  1. Belo texto. Reflexivo, com um final bem humorado a cerca do cotidiano.

    ResponderExcluir
  2. Você foi citada na última postagem do meu blog e gostaria que aparecesse por lá:

    http://ibagis.grandemidia.net/2012/11/ibagis-comentado-em-2012.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aiii que chique, vou ver sim, Jac, obrigada, beijo.

      Excluir
  3. bonito e original, como todos os seus textos.

    ResponderExcluir
  4. belíssimo texto!!! além de boa cronista você tem um lado poético.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não me acho poeta, gosto da crônica, minha verdadeira paixão, mas já que você diz... :obrigada, querida leitora ;) rs.

      Excluir
  5. "Hoje não estava nada bem
    Mas a tempestade me distrai
    Gosto dos pingos de chuva
    Dos relâmpagos e dos trovões
    Hoje à tarde foi um dia bom
    Saí prá caminhar com meu pai
    Conversamos sobre coisas da vida
    E tivemos um momento de paz..."

    Lembrei dessa música do Legião Urbana com o seu texto que transmite verdadeiramente o que é ter um pouco de paz numa sociedade que nunca tem. Gostei do blog vou voltar um montão de vezes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, essa música é linda e eu amo muito Legião Urbana, me identifico horrores. Acho que tem a ver com o texto sim, obrigada pela lembrança. Valeu, seja lá quem for.

      Excluir
  6. Maravilhoso texto. Parabéns, você é muito talentosa, vai fundo.

    Descobri seu blog por face, gostei muito, de verdade

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo! Gostei... Me identifiquei.

    Beijos!

    ResponderExcluir